O que é a Tetraparesia

Tetraparesia ou quadraparesia é uma condição na qual todos os quatro membros do corpo ficam fracos. Existem várias causas, muitas das quais são tratáveis.

Última revisão da página: 1 de setembro de 2023

Sobre a Tetraparesia


Em alguns pacientes com tetraparesia, os membros podem não ter controle motor voluntário, enquanto em outros pacientes alguns membros ou partes de membros podem estar paralisados, mas outros funcionam normalmente. A causa da fraqueza é uma interrupção parcial dos impulsos nervosos que passam ao longo da medula espinhal, portanto, os músculos supridos por esses nervos não funcionam normalmente.

O que é tetraparesia? - foto de uma mulher na cadeira de rodas - BR Terapeutas

Um exame neurológico completo é, portanto, essencial para identificar o padrão de fraqueza e os nervos envolvidos. Isso geralmente será seguido por estudos de imagem para localizar a área de dano que causa a fraqueza sensorial e motora. Isso, por sua vez, determinará a abordagem do tratamento.


Causas

Tetraparesia congênita

Alguns pacientes têm tetraparesia devido a problemas congênitos ou de nascimento. Dentre elas, a paralisia cerebral (ou tetraparesia espástica) é o motivo mais comum.

Tetraparesia adquirida

A tetraparesia espástica também pode resultar de degeneração neurológica

  • Trauma espinhal levando a danos na medula, como na ruptura do disco intervertebral, queda ou acidente automobilístico
  • Miopatias agudas
  • Distúrbios de conversão e síndrome do encarceramento
  • A paralisia flácida evolutiva pode ocorrer devido a mielopatias envolvendo a própria medula espinhal ou nervos periféricos.
  • Paralisia flácida evolutiva por neuropatias

Causas de tetraparesia que afetam a medula espinhal incluem:

  • Compressão da medula por um disco intervertebral protuberante ou rompido, tumor, hematoma, abscesso ou outra lesão de massa ou estenose da coluna vertebral
  • Mielite transversa afetando toda uma seção transversal da medula
  • Encefalite envolvendo o tronco cerebral
  • Mielopatia Necrotizante
  • Infecções como poliomielite, enterovírus ou infecções por flavivírus

As neuropatias que podem causar paralisia flácida em evolução incluem:

  • Síndrome de Guillain-Barré e suas variantes
  • Neuropatias secundárias devido a disfunções metabólicas como diabetes, porfiria, doença de Lyme, uremia, algumas intoxicações, vasculites autoimunes, síndromes paraneoplásicas e doenças críticas
  • Doenças da junção neuromuscular, como miastenia gravis, botulismo, alguns envenenamentos

Sintomas

A presença de hipotonia aguda e hipo ou arreflexia junto com tetraparesia pode sinalizar uma lesão ou envolvimento do sistema nervoso central inferior, ou seja, a medula espinhal.

A presença de músculos espásticos e alto tônus muscular indica comprometimento do neurônio motor superior, ou seja, do cérebro. Na paralisia cerebral, os membros superiores e inferiores são afetados de forma simétrica e intensa, com pescoço flácido, disartria e dificuldades respiratórias em casos graves.

A ocorrência de tetraparesia de progressão rápida pode sinalizar outras condições. Na maioria dos casos, é ascendente a partir dos membros inferiores, mas às vezes pode ser uma fraqueza descendente. Os reflexos são afetados precocemente nas neuropatias periféricas, mas são tipicamente poupados nas doenças das junções neuromusculares e nas miopatias até que comece a aparecer fraqueza severa.

Na maioria dos casos, o paciente finalmente apresenta fraqueza muscular grave, reflexos tendinosos profundos deficientes ou ausentes e, em alguns casos, envolvimento dos músculos respiratórios, do tronco cerebral e oculares. A simetria da paralisia, o envolvimento dos músculos extraoculares, os sinais sensoriais e o envolvimento do sistema nervoso autônomo são comumente observados.

As características clínicas, juntamente com alguns testes diagnósticos neurológicos e eletromiográficos (EMG), ajudam a confirmar a condição. Estudos de eletrólitos séricos, creatina quinase sérica e líquido cefalorraquidiano (LCR) são úteis para diferenciar várias condições, assim como testes de função muscular e nervosa, como estudos de condução nervosa e testes de EMG.


Manejo da Tetraparesia

Uma vez identificada a causa subjacente e a extensão do dano nervoso, vários métodos de tratamento podem ser empregados, como:

  • Remoção cirúrgica de discos intervertebrais que se projetam e comprimem os nervos espinhais, bem como de outras causas cirúrgicas de compressão medular
  • Tratamento de distúrbios metabólicos específicos e condições pós-inflamatórias
  • Fisioterapia para manter os músculos fortes e flexíveis enquanto a recuperação do nervo está acontecendo
  • Dispositivos auxiliares, como bengalas ou cadeiras de rodas, para ajudar a realizar as funções diárias de forma eficaz enquanto houver deficiência motora impedindo o movimento normal
  • O cuidado do intestino e da bexiga é essencial, pois essas funções são frequentemente afetadas
  • Liberação cirúrgica do tendão, rizotomia dorsal seletiva, injeções de agonista do receptor GABAB ou inibidor de liberação de acetilcolina e fisioterapia são alguns dos métodos usados para tratar crianças com paralisia cerebral grave

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para cuidados ou conselhos médicos profissionais. Entre em contato com um profissional de saúde se tiver dúvidas sobre sua saúde.

Referência

O tratamento envolve intervenções de diversas áreas como médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais entre outros, além da orientação de pais, cuidadores, amigos etc.

Você pode encontrar profissionais perto de você no site BR Terapeutas.