O que é a Esclerose Múltipla

A esclerose múltipla (EM) danifica a cobertura protetora ao redor dos nervos chamada mielina no sistema nervoso central. Pode causar fraqueza muscular, alterações na visão, dormência e problemas de memória. Embora não haja cura, as opções de tratamento podem ajudá-lo a controlar os sintomas e retardar a progressão da doença.

Última revisão da página: 22 de maio de 2024

Sobre a Esclerose Múltipla


A esclerose múltipla (EM) é uma doença de longa duração (crônica) do sistema nervoso central. Na EM, o sistema imunológico ataca a bainha protetora (mielina) que cobre as fibras nervosas e causa problemas de comunicação entre o cérebro e o resto do corpo. Eventualmente, a doença pode causar danos permanentes ou deterioração dos nervos.

Os sinais e sintomas da EM variam amplamente e dependem da quantidade de danos nos nervos e de quais nervos foram afetados. Algumas pessoas com EM grave podem perder a capacidade de andar de forma independente ou totalmente, enquanto outras podem passar por longos períodos de remissão sem novos sintomas.

Não há cura para a esclerose múltipla. No entanto, os tratamentos podem ajudar a acelerar a recuperação dos ataques, modificar o curso da doença e controlar os sintomas.

Sintomas

Os sinais e sintomas da esclerose múltipla podem diferir muito de pessoa para pessoa e ao longo do curso da doença, dependendo da localização das fibras nervosas afetadas. Os sintomas geralmente afetam o movimento, como:

  • Dormência ou fraqueza em um ou mais membros que normalmente ocorre em um lado do corpo de cada vez, ou nas pernas e tronco.
  • Sensações de choque elétrico que ocorrem com certos movimentos do pescoço, especialmente dobrando o pescoço para frente (sinal de Lhermitte).
  • Tremor, falta de coordenação ou marcha instável.

Problemas de visão também são comuns, incluindo:

  • Perda parcial ou total da visão, geralmente em um olho de cada vez, muitas vezes com dor durante o movimento dos olhos.
  • Visão dupla prolongada
  • Visão embaçada

Os sintomas da esclerose múltipla também podem incluir:

  • Fala arrastada
  • Fadiga
  • Tontura
  • Formigamento ou dor em partes do corpo
  • Problemas com a função sexual, intestinal e da bexiga

Consulte um médico se tiver algum dos sintomas acima por razões desconhecidas.

Qual o curso da EM?

A maioria das pessoas com EM tem um curso da doença remitente-recorrente. Eles experimentam períodos de novos sintomas ou recaídas que se desenvolvem ao longo de dias ou semanas e geralmente melhoram parcial ou completamente. Essas recaídas são seguidas por períodos tranquilos de remissão da doença que podem durar meses ou até anos.

Pequenos aumentos na temperatura corporal podem piorar temporariamente os sinais e sintomas da EM, mas não são considerados verdadeiras recaídas da doença.

Pelo menos 50% das pessoas com EM remitente-recorrente eventualmente desenvolvem uma progressão constante dos sintomas, com ou sem períodos de remissão, dentro de 10 a 20 anos a partir do início da doença. Isso é conhecido como EM secundária progressiva.

O agravamento dos sintomas geralmente inclui problemas de mobilidade e marcha. A taxa de progressão da doença varia muito entre as pessoas com EM progressiva secundária.

Algumas pessoas com EM experimentam um início gradual e uma progressão constante dos sinais e sintomas sem nenhuma recaída, conhecida como EM progressiva primária.

Causas

A causa da esclerose múltipla é desconhecida. É considerada uma doença autoimune na qual o sistema imunológico do corpo ataca seus próprios tecidos. No caso da EM, esse mau funcionamento do sistema imunológico destrói a substância gordurosa que reveste e protege as fibras nervosas do cérebro e da medula espinhal (mielina).

A mielina pode ser comparada ao revestimento isolante dos fios elétricos. Quando a mielina protetora é danificada e a fibra nervosa é exposta, as mensagens que viajam ao longo dessa fibra nervosa podem ser retardadas ou bloqueadas.

Não está claro por que a EM se desenvolve em algumas pessoas e não em outras. Uma combinação de fatores genéticos e ambientais parece ser responsável.

Fatores de risco

Esses fatores podem aumentar o risco de desenvolver esclerose múltipla:

  • Idade - A EM pode ocorrer em qualquer idade, mas o início geralmente ocorre por volta dos 20 e 40 anos de idade. No entanto, pessoas mais jovens e mais velhas podem ser afetadas.
  • Sexo - As mulheres são duas a três vezes mais propensas do que os homens a ter EM remitente-recorrente.
  • Histórico Familiar - Se um de seus pais ou irmãos teve EM, você corre um risco maior de desenvolver a doença.
  • Certas infecções - Uma variedade de vírus foi associada à EM, incluindo o Epstein-Barr, o vírus que causa a mononucleose infecciosa.
  • Raça - Os brancos, particularmente os descendentes do norte da Europa, correm maior risco de desenvolver EM. Pessoas de ascendência asiática, africana ou nativa americana têm o menor risco.
  • Clima - A EM é muito mais comum em países com climas temperados, incluindo Canadá, norte dos Estados Unidos, Nova Zelândia, sudeste da Austrália e Europa.
  • Vitamina D - Ter baixos níveis de vitamina D e baixa exposição à luz solar está associado a um maior risco de EM.
  • Certas doenças autoimunes - Você tem um risco ligeiramente maior de desenvolver EM se tiver outras doenças autoimunes, como doenças da tireoide, anemia perniciosa, psoríase, diabetes tipo 1 ou doença inflamatória intestinal.
  • Fumar - Fumantes que experimentam um evento inicial de sintomas que podem sinalizar EM são mais propensos do que os não fumantes a desenvolver um segundo evento que confirma EM remitente-recorrente.

Complicações

Pessoas com esclerose múltipla também podem desenvolver:

  • Rigidez muscular ou espasmos.
  • Paralisia, geralmente nas pernas.
  • Problemas com a bexiga, intestino ou função sexual
  • Alterações mentais, como esquecimento ou alterações de humor
  • Depressão
  • Epilepsia

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para cuidados ou conselhos médicos profissionais. Entre em contato com um profissional de saúde se tiver dúvidas sobre sua saúde.


A BR Terapeutas é uma plataforma online que conecta pessoas com deficiência (PCD) a terapeutas especializados em atender esse público. A plataforma foi criada por uma fonoaudióloga que também é mãe atípica, que sentiu a necessidade de facilitar o acesso a serviços de saúde mental e bem-estar para pessoas com deficiência.

Referência

O tratamento envolve intervenções de diversas áreas como médicos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais entre outros, além da orientação de pais, cuidadores, amigos etc.

Você pode encontrar profissionais perto de você no site BR Terapeutas.