O que é a Síndrome Dolorosa Complexa Regional

A Síndrome Dolorosa Complexa Regional é uma condição neurológica que causa dor e outros sintomas nas extremidades – mais comumente na mão. Existem várias opções de tratamento para SDCR. Quanto mais cedo você receber um diagnóstico e tratamento, maior será a probabilidade de seus sintomas melhorarem.

Última revisão da página: 7 de dezembro de 2023

Visão Geral


A síndrome da dor regional complexa (SDRC) é uma forma de dor crônica que geralmente afeta um braço ou uma perna. A síndrome da dor regional complexa geralmente se desenvolve após uma lesão, uma cirurgia, um acidente vascular cerebral ou um ataque cardíaco. A dor é desproporcional à gravidade da lesão inicial.

A SDRC é incomum e sua causa não é claramente compreendida. O tratamento é mais eficaz quando iniciado precocemente. Nesses casos, a melhora e até a remissão são possíveis.

Síndrome Dolorosa Complexa Regional - foto de dor no pulso

Sintomas

Os sinais e sintomas de SDRC incluem:

  • Dor contínua ou latejante, geralmente no braço, perna, mão ou pé
  • Sensibilidade ao toque ou ao frio
  • Inchaço da área dolorida
  • Mudanças na temperatura da pele – alternando entre suor e frio
  • Mudanças na cor da pele, variando de branca e manchada a vermelha ou azul
  • Alterações na textura da pele, que pode ficar sensível, fina ou brilhante na área afetada
  • Mudanças no crescimento do cabelo e das unhas
  • Rigidez, inchaço e danos nas articulações
  • Espasmos musculares, tremores e fraqueza (atrofia)
  • Diminuição da capacidade de mover a parte afetada do corpo

Os sintomas podem mudar com o tempo e variar de pessoa para pessoa. Dor, inchaço, vermelhidão, alterações visíveis de temperatura e hipersensibilidade (particularmente ao frio e ao toque) geralmente ocorrem primeiro.

Com o tempo, o membro afetado pode ficar frio e pálido. Pode sofrer alterações na pele e nas unhas, bem como espasmos e rigidez muscular. Uma vez que essas mudanças ocorrem, a condição costuma ser irreversível.

Ocasionalmente, a SDRC pode se espalhar de sua origem para outras partes do corpo, como o membro oposto.

Em algumas pessoas, os sinais e sintomas da SDRC desaparecem por conta própria. Em outros, os sinais e sintomas podem persistir por meses a anos. O tratamento provavelmente será mais eficaz quando iniciado no início da doença.

Causas

A causa da SDRC não é completamente compreendida. Acredita-se que seja causado por uma lesão ou diferença nos sistemas nervosos periférico e central. A CRPS normalmente ocorre como resultado de um trauma ou lesão.

A SDRC ocorre em dois tipos, com sinais e sintomas semelhantes, mas causas diferentes:

  • Tipo 1. Também conhecida como distrofia simpática reflexa (DSR), esse tipo ocorre após uma doença ou lesão que não danificou diretamente os nervos do membro afetado. Cerca de 90% das pessoas com SDCR têm tipo 1.
  • Tipo 2. Antes conhecido como causalgia, esse tipo apresenta sintomas semelhantes aos do tipo 1. Mas a SDRC tipo 2 ocorre após uma lesão nervosa distinta.

Muitos casos de SDRC ocorrem após um trauma forte em um braço ou perna. Isso pode incluir uma lesão por esmagamento ou uma fratura.

Outros traumas maiores e menores – como cirurgia, ataques cardíacos, infecções e até torções nos tornozelos – também podem causar SDRC.

Não se sabe bem por que essas lesões podem desencadear SDRC. Nem todas as pessoas que sofrem tal lesão desenvolverão SDRC. Pode ser devido a uma interação entre os sistemas nervoso central e periférico que não é típica e a diferentes respostas inflamatórias.

Prevenção

Estas etapas podem ajudá-lo a reduzir o risco de desenvolver SDRC:

  • Tomar vitamina C após uma fratura no pulso. Estudos demonstraram que pessoas que tomam altas doses de vitamina C após uma fratura no punho podem ter menor risco de SDRC em comparação com aquelas que não tomaram vitamina C.
  • Mobilização precoce após acidente vascular cerebral. Algumas pesquisas sugerem que as pessoas que saem da cama e andam logo após um acidente vascular cerebral (mobilização precoce) reduzem o risco de desenvolver SDRC.

Diagnóstico

O diagnóstico da síndrome de dor regional complexa (SDCR) é baseado em um exame físico e em seu histórico médico. Não existe um teste único que possa diagnosticar definitivamente a SDRC, mas os procedimentos a seguir podem fornecer pistas importantes:

  • Varredura óssea. Este procedimento pode ajudar a encontrar alterações ósseas. Uma substância radioativa injetada em uma de suas veias permite que seus ossos sejam vistos com uma câmera especial.
  • Testes de produção de suor. Alguns testes podem medir a quantidade de suor em ambos os membros. Resultados irregulares podem indicar CRPS.
  • Raios X. A perda de minerais dos ossos pode aparecer em um raio-X em estágios posteriores da doença.
  • Ressonância magnética (MRI). Imagens capturadas com um teste de ressonância magnética (MRI) podem mostrar alterações nos tecidos que excluem outras condições.

Tratamento

Existem algumas evidências de que o tratamento precoce pode ajudar a melhorar os sintomas da SDRC. Muitas vezes, é necessária uma combinação de diferentes tratamentos, adaptados ao seu caso específico. As opções de tratamento incluem:

Medicamentos

Os médicos usam vários medicamentos para tratar os sintomas da SDRC.

  • Analgésicos. Analgésicos disponíveis sem receita médica – como aspirina, ibuprofeno (Advil, Motrin IB, outros) e naproxeno sódico (Aleve) – podem aliviar a dor leve e a inflamação. Seu médico pode prescrever analgésicos mais fortes se os vendidos sem receita (OTC) não ajudarem. Medicamentos opioides podem ser uma opção. Tomados em doses baixas, podem ajudar a controlar a dor.
  • Antidepressivos e anticonvulsivantes. Às vezes, antidepressivos, como a amitriptilina, e anticonvulsivantes, como a gabapentina (Gralise, Neurontin), são usados para tratar a dor originada de um nervo danificado (dor neuropática).
  • Corticosteróides. Medicamentos esteróides, como a prednisona, podem reduzir a inflamação e melhorar a mobilidade do membro afetado.
  • Medicamentos para perda óssea. Seu médico pode sugerir medicamentos para prevenir ou retardar a perda óssea, como alendronato (Binosto, Fosamax) e calcitonina (Miacalcin).
  • Medicamento simpático bloqueador de nervos. A injeção de um anestésico para bloquear as fibras dolorosas nos nervos afetados pode aliviar a dor em algumas pessoas.
  • Cetamina intravenosa. Alguns estudos mostram que baixas doses de cetamina intravenosa, um anestésico forte, podem aliviar substancialmente a dor.
  • Medicamentos para baixar a pressão arterial. Às vezes, medicamentos para hipertensão, incluindo prazosina (Minipress), fenoxibenzamina (Dibenzilina) e clonidina, podem ajudar a controlar a dor.

Terapias

  • Terapia térmica. A aplicação de calor pode aliviar o inchaço e o desconforto na pele fria.
  • Analgésicos tópicos. Estão disponíveis vários tratamentos tópicos que podem reduzir a hipersensibilidade, como creme de capsaicina disponível sem receita médica ou creme ou adesivos de lidocaína (Lidoderm, ZTlido, outros).
  • Terapia física ou ocupacional. O exercício suave e guiado dos membros afetados ou a modificação das atividades diárias podem ajudar a diminuir a dor e melhorar a amplitude de movimento e a força. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, mais eficazes serão os exercícios.
  • Terapia do espelho. Este tipo de terapia usa um espelho para ajudar a enganar o cérebro. Sentado diante de um espelho ou caixa de espelhos, você move o membro saudável para que o cérebro o perceba como o membro afetado pela SDRC. A pesquisa mostra que este tipo de terapia pode ajudar a melhorar a função e reduzir a dor em pessoas com SDCR.
  • Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS). A dor crônica às vezes é aliviada pela aplicação de impulsos elétricos nas terminações nervosas.
  • Biofeedback. Em alguns casos, aprender técnicas de biofeedback pode ajudar. No biofeedback, você aprende a se tornar mais consciente do seu corpo para poder relaxá-lo e aliviar a dor.
  • Estimulação da medula espinhal. Seu provedor insere pequenos eletrodos ao longo da medula espinhal. Uma pequena corrente elétrica entregue à medula espinhal resulta no alívio da dor.
  • Bombas intratecais de medicamentos. Nesta terapia, medicamentos que aliviam a dor são bombeados para o líquido da medula espinhal.
  • Acupuntura. A inserção de agulhas longas e finas pode ajudar a estimular os nervos, os músculos e o tecido conjuntivo para aumentar o fluxo sanguíneo e aliviar a dor.

É possível que a SDRC se repita, às vezes devido a um gatilho como a exposição ao frio ou estresse emocional intenso. As recorrências podem ser tratadas com pequenas doses de um antidepressivo ou outro medicamento.

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para cuidados ou conselhos médicos profissionais. Entre em contato com um profissional de saúde se tiver dúvidas sobre sua saúde.


A BR Terapeutas é uma plataforma online que conecta pessoas com deficiência (PCD) a terapeutas especializados em atender esse público. A plataforma foi criada por uma fonoaudióloga que também é mãe atípica, que sentiu a necessidade de facilitar o acesso a serviços de saúde mental e bem-estar para pessoas com deficiência.

Referência

Na BR Terapeutas você encontra terapeutas especializados em Pessoas com Deficiência, tais como fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, neuropsicopedagogos, fisioterapeutas etc.

Você pode encontrar profissionais perto de você no site BR Terapeutas.