O que é a Síndrome de Wolf-Hirschhorn

É uma doença genética que afeta muitas partes do corpo. As principais características incluem uma aparência facial característica, atraso no crescimento e desenvolvimento, deficiência intelectual, baixo tônus muscular (hipotonia) e convulsões. Esta síndrome é causada por uma peça ausente (deleção) de material genético próximo ao final do braço curto (p) do cromossomo 4 (escrito como 4p-). O tamanho da deleção varia entre as pessoas com SWH, e estudos sugerem que deleções maiores tendem a resultar em características mais graves.

Última revisão da página: 4 de julho de 2023

Sobre a Síndrome de Wolf-Hirschhorn


A síndrome de Wolf-Hirschhorn é uma condição que afeta muitas partes do corpo. As principais características desse distúrbio incluem traços faciais característicos, atraso no crescimento e desenvolvimento, deficiência intelectual e convulsões.

Causa e tratamento da Síndrome de Wolf-Hirschhorn - foto de criança sentada com Síndrome de Wolf-Hirschhorn

Quase todas as pessoas com esse distúrbio têm características faciais distintas, incluindo uma ponte nasal larga, olhos grandes e protuberantes e uma testa alta. Esta combinação é descrita como uma aparência de "capacete de guerreiro grego". Outras características faciais incluem uma distância reduzida entre o nariz e o lábio superior (filtro curto), boca voltada para baixo, queixo pequeno (micrognatia) e orelhas mal formadas com pequenos orifícios (poços) ou retalhos de pele (marcas). Além disso, os indivíduos afetados podem ter características faciais assimétricas e uma cabeça incomumente pequena (microcefalia).

As pessoas com síndrome de Wolf-Hirschhorn apresentam atraso no crescimento e desenvolvimento. O crescimento lento começa antes do nascimento e os bebês afetados tendem a ter problemas para se alimentar e ganhar peso (falha no crescimento). Eles também têm tônus muscular fraco (hipotonia) e músculos subdesenvolvidos. Habilidades motoras como sentar, ficar de pé e andar são significativamente atrasadas. A maioria das crianças e adultos com esse distúrbio também tem baixa estatura.

A deficiência intelectual varia de leve a grave em pessoas com síndrome de Wolf-Hirschhorn. Em comparação com pessoas com outras formas de deficiência intelectual, suas habilidades de socialização são fortes, mas a comunicação verbal e as habilidades de linguagem tendem a ser mais fracas. A maioria das crianças afetadas também apresenta convulsões, que podem ser resistentes ao tratamento. As convulsões tendem a desaparecer com a idade.

Características adicionais da síndrome de Wolf-Hirschhorn incluem alterações na pele, como pele seca ou manchada; anormalidades esqueléticas, como curvatura anormal da coluna vertebral (escoliose e cifose); problemas dentários, incluindo falta de dentes; e uma abertura no céu da boca (fenda palatina) e/ou fenda no lábio superior (fenda labial). A síndrome de Wolf-Hirschhorn também pode causar anormalidades nos olhos, coração e trato geniturinário.

Uma condição chamada síndrome de Pitt-Rogers-Danks tem características que se sobrepõem às da síndrome de Wolf-Hirschhorn. Os pesquisadores agora reconhecem que essas duas condições são, na verdade, parte de uma única síndrome com sinais e sintomas variáveis.

Frequência

A prevalência da síndrome de Wolf-Hirschhorn é estimada em 1 em 50.000 nascimentos. No entanto, é provável que alguns indivíduos afetados nunca sejam diagnosticados.

Por razões desconhecidas, a síndrome de Wolf-Hirschhorn ocorre em cerca de duas vezes mais mulheres do que homens

Causas

A síndrome de Wolf-Hirschhorn é causada por uma deleção de material genético próximo ao final do braço curto (p) do cromossomo 4. Essa alteração cromossômica às vezes é escrita como 4p-. O tamanho da deleção varia entre os indivíduos afetados; estudos sugerem que deleções maiores tendem a resultar em deficiência intelectual mais grave e anormalidades físicas do que deleções menores.

Os sinais e sintomas de Wolf-Hirschhorn estão relacionados à perda de múltiplos genes no braço curto do cromossomo 4. NSD2, LETM1 e MSX1 são os genes deletados em pessoas com sinais e sintomas típicos desse distúrbio. Esses genes desempenham papéis significativos no desenvolvimento inicial, embora muitas de suas funções específicas sejam desconhecidas.

Os pesquisadores acreditam que a perda do gene NSD2 pode causar muitas das características da síndrome de Wolf-Hirschhorn, incluindo a aparência facial distinta e atraso no desenvolvimento. A deleção do gene LETM1 e de outros genes próximos (incluindo CPLX1) pode causar convulsões ou outras atividades elétricas anormais no cérebro. A perda do gene MSX1 pode ser responsável pelas anormalidades dentárias e fenda labial e/ou palatina que são frequentemente observadas em pessoas com essa condição.

Os cientistas estão trabalhando para identificar genes adicionais no final do braço curto do cromossomo 4 que contribuem para as características da síndrome de Wolf-Hirschhorn.

Hereditariedade

Entre 85 e 90 por cento de todos os casos de síndrome de Wolf-Hirschhorn não são herdados. Eles são causados por uma deleção cromossômica que ocorre como um evento aleatório (de novo) durante a formação de células reprodutivas (óvulos ou esperma) ou durante o desenvolvimento embrionário inicial. Rearranjos cromossômicos mais complexos também podem ocorrer como eventos de novo, o que pode ajudar a explicar a variabilidade nos sinais e sintomas da doença. Alterações cromossômicas de novo ocorrem em pessoas sem histórico da doença em sua família.

Uma anormalidade cromossômica incomum chamada cromossomo em anel também pode causar a síndrome de Wolf-Hirschhorn. Os cromossomos em anel ocorrem quando um cromossomo se quebra em dois lugares e as extremidades dos braços do cromossomo se fundem para formar uma estrutura circular. No processo, os genes próximos às extremidades do cromossomo são perdidos. Em uma pequena porcentagem de pessoas com síndrome de Wolf-Hirschhorn, o distúrbio é causado pelo cromossomo 4 que se torna um cromossomo em anel.

Nos casos restantes da síndrome de Wolf-Hirschhorn, um indivíduo afetado herda uma cópia do cromossomo 4 com um segmento deletado. Nesses casos, um dos pais do indivíduo carrega uma translocação balanceada, que ocorre quando o cromossomo 4 troca informações genéticas com outro cromossomo. Nenhum material genético é ganho ou perdido em uma translocação balanceada, então essas mudanças cromossômicas geralmente não causam nenhum problema de saúde. No entanto, as translocações podem se tornar desequilibradas à medida que são passadas para a próxima geração. Algumas pessoas com síndrome de Wolf-Hirschhorn herdam uma translocação desequilibrada que exclui genes perto do final do braço curto do cromossomo 4. A perda desses genes resulta em deficiência intelectual, crescimento lento e outros problemas de saúde característicos desse distúrbio.

Tratamento

Não há cura para a síndrome de Wolf-Hirschhorn e cada paciente é único, portanto, os planos de tratamento são personalizados para controlar os sintomas. A maioria dos planos incluirá:

  • Fisioterapia ou terapia ocupacional
  • Cirurgia de reparação
  • Apoio através de serviços sociais
  • Aconselhamento genético
  • Educação especial
  • Controle de convulsões
  • Terapia medicamentosa

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para cuidados ou conselhos médicos profissionais. Entre em contato com um profissional de saúde se tiver dúvidas sobre sua saúde.

Referência

O tratamento envolve intervenções de diversas áreas como médicos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais entre outros, além da orientação de pais, cuidadores, amigos etc.

Você pode encontrar profissionais perto de você no site BR Terapeutas.