O que é Demência Vascular?

A demência vascular é causada por condições que danificam os vasos sanguíneos e bloqueiam o fluxo sanguíneo para o cérebro. As condições incluem doenças cardíacas, diabetes, pressão alta e níveis elevados de colesterol. A demência afeta a memória, habilidades de pensamento, comportamento, linguagem e personalidade. O tratamento inclui o gerenciamento de doenças dos vasos sanguíneos, bem como mudanças no estilo de vida saudável para o coração.

Última revisão da página: 16 de agosto de 2023

Sobre a Demência Vascular


Demência vascular é um termo geral que descreve problemas de raciocínio, planejamento, julgamento, memória e outros processos de pensamento causados por danos cerebrais decorrentes do fluxo sanguíneo prejudicado para o cérebro.

Você pode desenvolver demência vascular depois que um derrame bloqueia uma artéria em seu cérebro, mas os derrames nem sempre causam demência vascular. Se um derrame afeta seu pensamento e raciocínio depende da gravidade e localização do derrame. A demência vascular também pode resultar de outras condições que danificam os vasos sanguíneos e reduzem a circulação, privando o cérebro de oxigênio e nutrientes vitais.

Fatores que aumentam o risco de doenças cardíacas e derrames – incluindo diabetes, pressão alta, colesterol alto e tabagismo – também aumentam o risco de demência vascular. Controlar esses fatores pode ajudar a diminuir suas chances de desenvolver demência vascular.

Causas e sintomas da demência vascular - oto de idoso com demência vascular

Sintomas

Os sintomas de demência vascular variam, dependendo da parte do cérebro onde o fluxo sanguíneo é prejudicado. Os sintomas muitas vezes se sobrepõem aos de outros tipos de demência, especialmente a demência da doença de Alzheimer. Mas, ao contrário da doença de Alzheimer, os sintomas mais significativos da demência vascular tendem a envolver velocidade de pensamento e resolução de problemas, em vez de perda de memória.

Sinais e sintomas de demência vascular incluem:

  • Confusão
  • Dificuldade em prestar atenção e concentração
  • Capacidade reduzida de organizar pensamentos ou ações
  • Declínio na capacidade de analisar uma situação, desenvolver um plano eficaz e comunicar esse plano a outras pessoas
  • Pensamento lento
  • Dificuldade de organização
  • Dificuldade em decidir o que fazer a seguir
  • Problemas com memória
  • Inquietação e agitação
  • Marcha instável
  • Desejo súbito ou frequente de urinar ou incapacidade de controlar a passagem da urina
  • Depressão ou apatia

Os sintomas de demência vascular podem ser mais nítidos quando ocorrem repentinamente após um acidente vascular cerebral. Quando as mudanças em seu pensamento e raciocínio parecem claramente ligadas a um acidente vascular cerebral, essa condição às vezes é chamada de demência pós-AVC.

Por vezes, um padrão característico de sintomas de demência vascular segue-se a uma série de acidentes vasculares cerebrais ou pequenos derrames. As mudanças em seus processos de pensamento ocorrem em etapas perceptíveis para baixo em relação ao seu nível anterior de função, ao contrário do declínio gradual e constante que normalmente ocorre na demência da doença de Alzheimer.

Mas a demência vascular também pode se desenvolver muito gradualmente, assim como a demência da doença de Alzheimer. Além do mais, a doença vascular e a doença de Alzheimer geralmente ocorrem juntas.

Estudos mostram que muitas pessoas com demência e evidência de doença vascular cerebral também têm a doença de Alzheimer.

Causas

A demência vascular resulta de condições que danificam os vasos sanguíneos do cérebro, reduzindo sua capacidade de fornecer ao cérebro as quantidades de nutrição e oxigênio de que ele precisa para realizar processos de pensamento com eficiência.

Condições comuns que podem levar à demência vascular incluem:

  • AVC (infarto) bloqueando uma artéria cerebral. Os derrames que bloqueiam uma artéria cerebral geralmente causam uma série de sintomas que podem incluir demência vascular. Mas alguns derrames não causam nenhum sintoma perceptível. Esses derrames silenciosos ainda aumentam o risco de demência. Com AVCs silenciosos e aparentes, o risco de demência vascular aumenta com o número de AVCs que ocorrem ao longo do tempo. Um tipo de demência vascular envolvendo muitos acidentes vasculares cerebrais é chamado de demência multi-infarto.
  • Hemorragia cerebral. Frequentemente causada por hipertensão arterial que enfraquece um vaso sanguíneo levando a sangramento no cérebro causando dano ou acúmulo de proteína em pequenos vasos sanguíneos ocorrendo com o envelhecimento enfraquecendo-os ao longo do tempo (angiopatia amiloide cerebral)
  • Vasos sanguíneos cerebrais estreitados ou cronicamente danificados. Condições que estreitam ou infligem danos a longo prazo nos vasos sanguíneos do cérebro também podem levar à demência vascular. Essas condições incluem o desgaste associado ao envelhecimento, pressão alta, envelhecimento anormal dos vasos sanguíneos (aterosclerose), diabetes

Fatores de Risco

Em geral, os fatores de risco para demência vascular são os mesmos para doenças cardíacas e derrames. Os fatores de risco para demência vascular incluem:

  • Idade crescente. Seu risco de demência vascular aumenta à medida que você envelhece. A doença é rara antes dos 65 anos e o risco aumenta substancialmente aos 90 anos.
  • História de ataques cardíacos, derrames ou minirroques. Se você teve um ataque cardíaco, pode estar em maior risco de ter problemas nos vasos sanguíneos do cérebro. O dano cerebral que ocorre com um acidente vascular cerebral ou um ministroke (ataque isquêmico transitório) pode aumentar o risco de desenvolver demência.
  • Envelhecimento anormal dos vasos sanguíneos (aterosclerose). Essa condição ocorre quando depósitos de colesterol e outras substâncias (placas) se acumulam nas artérias e estreitam os vasos sanguíneos. A aterosclerose pode aumentar o risco de demência vascular, reduzindo o fluxo de sangue que nutre o cérebro.
  • Colesterol alto. Níveis elevados de lipoproteína de baixa densidade (LDL), o colesterol "ruim", estão associados a um risco aumentado de demência vascular.
  • Pressão alta. Quando a pressão arterial está muito alta, ela coloca pressão extra nos vasos sanguíneos em todo o corpo, incluindo o cérebro. Isso aumenta o risco de problemas vasculares no cérebro.
  • Diabetes. Altos níveis de glicose danificam os vasos sanguíneos em todo o corpo. Danos nos vasos sanguíneos do cérebro podem aumentar o risco de acidente vascular cerebral e demência vascular.
  • Fumar. Fumar danifica diretamente os vasos sanguíneos, aumentando o risco de aterosclerose e outras doenças circulatórias, incluindo demência vascular.
  • Obesidade. O excesso de peso é um fator de risco bem conhecido para doenças vasculares em geral e, portanto, presumivelmente aumenta o risco de demência vascular.
  • Fibrilação atrial. Nesse ritmo cardíaco anormal, as câmaras superiores do coração começam a bater rápida e irregularmente, sem coordenação com as câmaras inferiores do coração. A fibrilação atrial aumenta o risco de acidente vascular cerebral porque causa a formação de coágulos sanguíneos no coração que podem se romper e ir para os vasos sanguíneos do cérebro.

Prevenção

A saúde dos vasos sanguíneos do cérebro está intimamente ligada à saúde geral do coração. Seguir estas etapas para manter seu coração saudável também pode ajudar a reduzir o risco de demência vascular:

  • Manter uma pressão arterial saudável. Manter a pressão arterial na faixa normal pode ajudar a prevenir a demência vascular e a doença de Alzheimer.
  • Prevenir ou controlar o diabetes. Evitar o aparecimento do diabetes tipo 2, com dieta e exercícios, é outra maneira possível de diminuir o risco de demência. Se você já tem diabetes, controlar seus níveis de glicose pode ajudar a proteger os vasos sanguíneos do cérebro contra danos.
  • Parar de fumar. Fumar tabaco danifica os vasos sanguíneos em todo o corpo.
  • Faça exercícios físicos. A atividade física regular deve ser uma parte fundamental do plano de bem-estar de todos. Além de todos os seus outros benefícios, o exercício pode ajudar a evitar a demência vascular.
  • Mantenha seu colesterol sob controle. Uma dieta saudável com baixo teor de gordura e medicamentos para baixar o colesterol, se necessário, podem reduzir o risco de derrames e ataques cardíacos que podem levar à demência vascular, provavelmente reduzindo a quantidade de depósitos de placas que se acumulam nas artérias do cérebro.

Tratamento

O tratamento geralmente se concentra no gerenciamento das condições de saúde e dos fatores de risco que contribuem para a demência vascular.

O controle das condições que afetam a saúde subjacente do coração e dos vasos sanguíneos pode, às vezes, diminuir a taxa de piora da demência vascular e, às vezes, também impedir um declínio maior. Dependendo da sua situação individual, o seu médico pode prescrever medicamentos para:

  • Abaixe sua pressão arterial
  • Reduza seu nível de colesterol
  • Evite a coagulação do sangue e mantenha as artérias limpas
  • Ajudar a controlar o açúcar no sangue se você tem diabetes

Como é diagnosticada a demência vascular?

Seu médico irá coletar seu histórico médico e histórico médico familiar, revisar seus medicamentos e realizar um exame físico. Eles podem solicitar exames adicionais, como exames de sangue, varreduras cerebrais, avaliação neuropsicológica (habilidades de pensamento) ou avaliação psiquiátrica/psicológica. Você pode ser encaminhado a um neurologista para algumas das avaliações e testes.

Revisão de medicamentos

Os efeitos colaterais de alguns medicamentos podem causar confusão, que também é um sintoma de demência vascular. Esses medicamentos incluem pílulas para dormir, medicamentos para incontinência urinária, tranqüilizantes, anti-histamínicos e analgésicos.

Exames de sangue

Exames de sangue podem ser solicitados para detectar problemas de saúde que afetam a função cerebral. Seu sangue será examinado quanto a sinais de infecção, inflamação, tireóide hipoativa, deficiência de vitamina (especialmente B12) e problemas de função hepática ou renal.

O teste de imagem do seu cérebro pode incluir
  • Tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (MRI). A TC usa raios-X e um computador para mostrar imagens detalhadas do seu cérebro. A ressonância magnética usa ímãs, ondas de rádio e um computador para criar imagens detalhadas do seu cérebro. Esses exames de imagem procuram evidências de derrame, sangramento, tumores e fluidos em seu cérebro.
  • FDG-PET scan. Este é um tipo especial de varredura cerebral que ajuda a determinar o tipo de demência pelo padrão de como um tipo de glicose é absorvido pelo tecido cerebral.
Testes neuropsicológicos

Suas habilidades mentais, incluindo resolução de problemas, aprendizado, julgamento, memória, planejamento e raciocínio e linguagem são avaliadas com testes escritos e computadorizados.

Avaliação psiquiátrica/psicológica

Um profissional de saúde mental pode verificar se há sinais de depressão, alterações de humor ou outros problemas de saúde mental que possam causar perda de memória.

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para cuidados ou conselhos médicos profissionais. Entre em contato com um profissional de saúde se tiver dúvidas sobre sua saúde.

Referência

O tratamento envolve intervenções de diversas áreas como médicos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais entre outros, além da orientação de pais, cuidadores, amigos etc.

Você pode encontrar profissionais perto de você no site BR Terapeutas.