O que é a Apraxia da Fala?

A apraxia da fala na infância é um distúrbio da fala no qual o cérebro da criança tem dificuldade em coordenar os movimentos orais complexos necessários para transformar sons em sílabas, sílabas em palavras e palavras em frases. Normalmente, a fraqueza muscular não é a culpada por esse distúrbio da fala.

Última revisão da página: 24 de maio de 2023

Sobre a Apraxia da Fala


A apraxia da fala na infância é um distúrbio de fala incomum no qual uma criança tem dificuldade em fazer movimentos precisos ao falar. Na apraxia da fala, o cérebro se esforça para desenvolver planos para o movimento da fala. Com esse distúrbio, os músculos da fala não são fracos, mas não funcionam normalmente porque o cérebro tem dificuldade em direcionar ou coordenar os movimentos.

Para falar corretamente, o cérebro de seu filho precisa aprender a fazer planos que digam aos músculos da fala como mover os lábios, a mandíbula e a língua de maneira a resultar em sons precisos e palavras faladas com velocidade e ritmo normais. A apraxia da fala costuma ser tratada com terapia da fala, na qual as crianças praticam a maneira correta de dizer palavras, sílabas e frases com a ajuda de um fonoaudiólogo.

Sintomas

Crianças com apraxia de fala infantil podem ter muitos sintomas ou características AFI de fala que variam dependendo da idade e da gravidade de seus problemas de fala.

O apraxia de fala pode ser associado a:

  • Atraso no início das primeiras palavras
  • Um número limitado de palavras faladas
  • A capacidade de formar apenas alguns sons de consoantes ou vogais

Esses sintomas geralmente são percebidos entre 18 meses e 2 anos de idade e podem indicar suspeita de AFI.

À medida que as crianças produzem mais fala, geralmente entre 2 e 4 anos, as característiticas AFI provavelmente incluem:

  • Distorções de vogais e consoantes
  • Separação de sílabas em ou entre palavras
  • Erros de voz, como "torta" soando como "tchau"

Muitas crianças com AFI têm dificuldade em colocar suas mandíbulas, lábios e línguas nas posições corretas para emitir um som e podem ter dificuldade em mover-se suavemente para o próximo som.

Muitas crianças com AFI também têm problemas de linguagem, como vocabulário reduzido ou dificuldade com a ordem das palavras.

Alguns sintomas podem ser exclusivos de crianças com AFI e podem ser úteis para diagnosticar o problema. No entanto, alguns sintomas de AFI também são sintomas de outros tipos de distúrbios de fala ou linguagem. É difícil diagnosticar o AFI se uma criança apresenta apenas sintomas encontrados no AFI e em outros tipos de distúrbios de fala ou linguagem.

Algumas características AFI, às vezes chamadas de marcadores, ajudam a distinguir o AFI de outros tipos de distúrbios da fala. Aqueles particularmente associados ao AFI incluem:

  • Dificuldade em passar suavemente de um som, sílaba ou palavra para outra
  • Tateando movimentos com a mandíbula, lábios ou língua para fazer o movimento correto para os sons da fala
  • Distorções de vogais, como tentar usar a vogal correta, mas dizê-la incorretamente
  • Usar o estresse errado em uma palavra, como pronunciar "banana" como "BUH-nan-uh" em vez de "buh-NAN-uh"
  • Usando ênfase igual em todas as sílabas, como dizer "BUH-NAN-UH"
  • Separação de sílabas, como colocar uma pausa ou intervalo entre as sílabas
  • Inconsistência, como cometer erros diferentes ao tentar dizer a mesma palavra uma segunda vez
  • Dificuldade em imitar palavras simples
  • Erros de voz inconsistentes, como dizer "down" em vez de "town"

Outras características AFI são observadas na maioria das crianças com problemas de fala ou linguagem e não são úteis para distinguir AFI. As características AFI observadas tanto em crianças com AFI quanto em crianças com outros tipos de distúrbios de fala ou linguagem incluem:

  • Balbuciar menos ou emitir menos sons vocais do que o normal entre as idades de 7 a 12 meses
  • Falar as primeiras palavras tarde (depois dos 12 aos 18 meses de idade)
  • Usando um número limitado de consoantes e vogais
  • Frequentemente deixando de fora (omitindo) sons
  • Usando a fala que é difícil de entender a fala
O que é a Apraxia da fala infantil?

Outros distúrbios da fala às vezes confundidos com AFI

Alguns distúrbios dos sons da fala geralmente são confundidos com AFI porque algumas das características AFI podem se sobrepor. Esses distúrbios dos sons da fala incluem distúrbios articulatórios, distúrbios fonológicos e disartria.

Uma criança que tem dificuldade para aprender a emitir sons específicos, mas não tem dificuldade para planejar ou coordenar os movimentos para falar, pode ter um distúrbio fonológico ou articulatório. Os distúrbios articulatórios e fonológicos são mais comuns do que o AFI.

Os erros de articulação ou fala fonológica podem incluir:

  • Substituir sons, como dizer "fum" em vez de "thumb", "wabbit" em vez de "rabbit" ou "tup" em vez de "cup"
  • Deixar de fora (omitir) consoantes finais, como dizer "duh" em vez de "duck" ou "uh" em vez de "up"
  • Interromper o fluxo de ar, como dizer "tun" em vez de "sun" ou "doo" em vez de "zoo"
  • Simplificar combinações de sons, como dizer "ting" em vez de "string" ou "fog" em vez de "frog"

A disartria é um distúrbio motor da fala devido à fraqueza, espasticidade ou incapacidade de controlar os músculos da fala. Fazer sons de fala é difícil porque os músculos da fala não podem se mover tão longe, tão rápido ou tão forte quanto o normal. Pessoas com disartria também podem ter uma voz rouca, suave ou mesmo tensa, ou fala arrastada ou lenta.

A disartria costuma ser mais fácil de identificar do que o AFI. No entanto, quando a disartria é causada por danos a certas áreas do cérebro que afetam a coordenação, pode ser difícil determinar as diferenças entre AFI e disartria.

Causas

Apraxia de fala infantil (AFI) tem várias causas possíveis, mas em muitos AFIos uma causa não pode ser determinada. Os médicos muitas vezes não observam um problema no cérebro de uma criança com AFI.

O AFI pode ser o resultado de condições ou lesões cerebrais (neurológiAFI), como um acidente vascular cerebral, infecções ou lesão cerebral traumática.

O AFI também pode ocorrer como sintoma de um distúrbio genético, síndrome ou condição metabólica. Por exemplo, AFI ocorre com mais frequência em crianças com galactosemia.

AFI é por vezes referido como apraxia do desenvolvimento. No entanto, as crianças com AFI não necessariamente abandonam o AFI à medida que se desenvolvem. Em muitas crianças com atraso na fala ou distúrbios do desenvolvimento, as crianças seguem os padrões usuais no desenvolvimento da fala e dos sons, mas se desenvolvem mais lentamente do que o normal.

Crianças com AFI não cometem erros sonoros típicos de desenvolvimento. Eles precisam de terapia da fala para progredir ao máximo.


É importante que os fonoaudiólogos, professores, pais, profissionais relacionados e todos os membros da família estejam ativamente envolvidos no processo de tratamento para que seu filho com ataxia de fala possa alcançar o máximo progresso. Pesquisas adicionais sobre esse distúrbio são necessárias para explorar fatores causais, critérios diagnósticos e a eficácia de várias abordagens terapêutiAFI.


Fatores de risco

Anormalidades no gene FOXP2 parecem aumentar o risco de apraxia da fala na infância (AFI) e outros distúrbios de fala e linguagem. O gene FOXP2 pode estar envolvido no desenvolvimento de certos nervos e vias cerebrais. Os pesquisadores continuam estudando como as anormalidades no gene FOXP2 podem afetar a coordenação motora e o processamento da fala e da linguagem no cérebro.

Complicações

Muitas crianças com apraxia de fala infantil (AFI) têm outros problemas que afetam sua capacidade de se comunicar. Esses problemas não são devidos ao AFI, mas podem ser vistos junto com o AFI.

Os sintomas ou problemas que geralmente estão presentes junto com o AFI incluem:

  • Linguagem atrasada, como dificuldade em entender a fala, vocabulário reduzido ou dificuldade em usar a gramática correta ao juntar as palavras em uma frase ou sentença
  • Atrasos no desenvolvimento intelectual e motor e problemas de leitura, ortografia e escrita
  • Dificuldades com habilidades motoras grossas e finas ou coordenação
  • Hipersensibilidade, na qual a criança pode não gostar de algumas texturas na roupa ou de certos alimentos, ou a criança pode não gostar de escovar os dentes

Prevenção

Diagnosticar e tratar a apraxia da fala infantil em um estágio inicial pode reduzir o risco de persistência do problema a longo prazo. Se seu filho tiver problemas de fala, é uma boa ideia pedir a um fonoaudiólogo para avaliar seu filho assim que você notar algum problema de fala.

Diagnóstico

Para avaliar a condição de seu filho, o fonoaudiólogo revisará os sintomas e o histórico médico de seu filho, fará um exame dos músculos usados para a fala e examinará como seu filho produz sons, palavras e frases.

O fonoaudiólogo de seu filho também avaliará as habilidades de linguagem de seu filho, como vocabulário, estrutura de frases e capacidade de entender a fala.

O diagnóstico de AFI não se baseia em nenhum teste ou observação. Depende do padrão de problemas que são vistos. Os testes específicos realizados durante a avaliação dependerão da idade do seu filho, da capacidade de cooperação e da gravidade do problema de fala.

Às vezes pode ser difícil diagnosticar a AFI, principalmente quando a criança fala muito pouco ou tem dificuldade de interagir com o fonoaudiólogo.

É importante identificar se seu filho apresenta sintomas de AFI, porque o AFI é tratado de forma diferente de outros distúrbios da fala. O fonoaudiólogo de seu filho pode ser capaz de determinar uma abordagem de tratamento apropriada para seu filho, mesmo que o diagnóstico seja inicialmente incerto.

Os testes podem incluir:

  • Testes de audição. Seu médico pode solicitar testes auditivos para determinar se os problemas auditivos podem estar contribuindo para os problemas de fala de seu filho.
  • Avaliação motora oral. O fonoaudiólogo de seu filho examinará os lábios, a língua, a mandíbula e o palato de seu filho em busca de problemas estruturais, como língua presa ou fenda palatina, ou outros problemas, como baixo tônus muscular. O tônus muscular baixo geralmente não está associado ao AFI, mas pode ser um sinal de outras condições.

    O fonoaudiólogo de seu filho observará como ele move os lábios, a língua e a mandíbula em atividades como soprar, sorrir e beijar.

  • Avaliação da fala. A capacidade do seu filho de emitir sons, palavras e frases será observada durante as brincadeiras ou outras atividades.

    Seu filho pode ser solicitado a nomear figuras para ver se ele ou ela tem dificuldade em emitir sons específicos ou falar certas palavras ou sílabas.

    O fonoaudiólogo de seu filho pode avaliar a coordenação e a suavidade do movimento do seu filho durante as tarefas de fala. Para avaliar a coordenação do movimento de seu filho na fala, pode ser solicitado que ele repita sílabas como "pa-ta-ka" ou diga palavras como "botão de ouro".

    Se seu filho puder produzir frases, o fonoaudiólogo observará a melodia e o ritmo da fala de seu filho, por exemplo, como ele enfatiza as sílabas e as palavras.

    O fonoaudiólogo de seu filho pode ajudá-lo a ser mais preciso, fornecendo diAFI, como dizer a palavra ou o som mais devagar ou fornecer diAFI de toque em seu rosto.

Tratamento

Os fonoaudiólogos podem tratar a apraxia da fala infantil (AFI) com muitas terapias.

Terapia de fala

O fonoaudiólogo de seu filho geralmente fornecerá terapia que se concentra na prática de sílabas, palavras e frases. Quando o AFI é relativamente grave, seu filho pode precisar de terapia da fala frequente, três a cinco vezes por semana. À medida que seu filho melhora, a frequência da terapia da fala pode ser reduzida. Crianças com AFI geralmente se beneficiam de terapia individual. A terapia individual permite que seu filho tenha mais tempo para praticar a fala durante cada sessão. É importante que as crianças com AFI adquiram uma quantidade significativa de prática dizendo palavras e frases durante cada sessão de terapia da fala. Aprender a dizer palavras ou frases leva tempo e prática para as crianças com AFI. Como as crianças com AFI têm dificuldade em planejar os movimentos da fala, a terapia da fala geralmente concentra a atenção de seu filho no som e na sensação dos movimentos da fala.

Os fonoaudiólogos podem usar diferentes tipos de pistas na terapia da fala. Por exemplo, o fonoaudiólogo de seu filho pode pedir que ele ouça com atenção e observe-o formar a palavra ou frase-alvo com a boca. O fonoaudiólogo de seu filho também pode tocar o rosto de seu filho enquanto ele emite certos sons ou sílabas. Por exemplo, o fonoaudiólogo de seu filho pode usar as mãos para ajudá-lo a arredondar os lábios para dizer "oo". Nenhuma abordagem fonoaudiológica isolada demonstrou ser mais eficaz no tratamento da AFI. Mas, alguns princípios gerais importantes da terapia da fala para AFI incluem:

  • Exercícios de fala. O fonoaudiólogo de seu filho se concentrará em exercícios de fala, como pedir que seu filho diga palavras ou frases várias vezes durante uma sessão de terapia.
  • Exercícios de som e movimento. Seu filho será solicitado a ouvir o fonoaudiólogo e observar sua boca enquanto diz a palavra ou frase alvo. Ao observar a boca do fonoaudiólogo, seu filho também vê os movimentos que acompanham os sons.
  • Prática de fala. Seu filho provavelmente praticará sílabas, palavras ou frases, em vez de sons isolados, durante a terapia da fala. Crianças com AFI precisam praticar os movimentos de um som para outro.
  • Prática vocálica. Como muitas crianças com AFI distorcem os sons das vogais, o fonoaudiólogo de seu filho pode escolher palavras para seu filho praticar que contenham vogais em diferentes tipos de sílabas. Por exemplo, seu filho pode ser solicitado a dizer "oi", "meu" e "morder" ou "fora", "para baixo" e "AFIa".
  • Aprendizagem ritmada. Se seu filho tem AFI grave, o fonoaudiólogo de seu filho pode usar um pequeno conjunto de palavras de prática no início e aumentar gradualmente o número de palavras para praticar à medida que seu filho melhora.

Prática de fala em AFIa

Como a prática da fala é muito importante, o fonoaudiólogo de seu filho pode incentivá-lo a se envolver na prática da fala de seu filho em AFIa.

O fonoaudiólogo de seu filho pode lhe dar palavras e frases para praticar com seu filho em AFIa que ele aprendeu na terapia da fala. Cada sessão de prática em AFIa pode ser curta, como cinco minutos de duração, e você pode praticar com seu filho duas vezes ao dia.

As crianças também precisam praticar palavras e frases em situações da vida real. Crie situações em que seja apropriado para seu filho dizer a palavra ou frase espontaneamente. Por exemplo, peça a seu filho para dizer "Oi, mamãe" toda vez que a mãe entrar em uma sala. Praticar palavras ou frases em situações da vida real tornará mais fácil para seu filho dizer as palavras de prática automaticamente.

Métodos alternativos de comunicação

Se seu filho tem um distúrbio de fala grave e não consegue se comunicar de forma eficaz, métodos alternativos de comunicação podem ser muito úteis.

Métodos alternativos de comunicação podem incluir linguagem de sinais ou gestos naturais, como apontar ou fingir que está comendo ou bebendo. Por exemplo, seu filho pode usar sinais para comunicar que quer um biscoito. Às vezes, dispositivos eletrônicos, como tablets eletrônicos, podem ser úteis na comunicação.

Muitas vezes, é importante usar métodos de comunicação alternativos desde o início. Usar esses métodos pode ajudar seu filho a ficar menos frustrado ao tentar se comunicar. Também pode ajudar seu filho a desenvolver habilidades de linguagem, como vocabulário e a capacidade de juntar palavras em frases. À medida que a fala melhora, essas estratégias e dispositivos podem não ser mais necessários.

Terapias para problemas coexistentes

Muitas crianças com AFI também apresentam atrasos no desenvolvimento da linguagem e podem precisar de terapia para lidar com suas dificuldades de linguagem.

Crianças com AFI que apresentam dificuldades motoras finas e grossas em seus braços ou pernas podem precisar de fisioterapia ou terapia ocupacional.

Se uma criança com AFI tiver outra condição médica, o tratamento eficaz para essa condição pode ser importante para melhorar a fala da criança.

Tratamentos que não são úteis para AFI

Alguns tratamentos não são úteis para melhorar a fala de crianças com AFI. Por exemplo, não há evidências de que exercícios para fortalecer os músculos da fala ajudem a melhorar a fala em crianças com AFI.

Referência

O tratamento envolve intervenções de diversas áreas como médicos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais entre outros, além da orientação de pais, cuidadores, amigos etc.

Você pode encontrar profissionais perto de você no site BR Terapeutas.